Trabalho Escravo Contemporâneo e a Pandemia SARS-COV-2: Reflexões sobre o Biopoder, a Biopolítica e a Necropolítica

Autores/as

Resumen

O presente artigo tem por objetivo realizar uma análise crítica e reflexiva sobre a omissão discursiva e, consequentemente prática, na negação do trabalho escravo contemporâneo (TEC), ao não retratar objetivamente a existência dessa população de vulneráveis - trabalhadores escravizados em seus diferentes modos típicos, durante a elaboração do arcabouço legislativo brasileiro publicado para o combate à pandemia da Covid-19. A metodologia utilizada neste artigo é composta pela pesquisa documental, bibliográfica, cartográfica e dados estatísticos do Brasil fornecidos pelo Ministério da Saúde e IBGE. Fundamentado nesta realidade, constata-se que a população de trabalhadores que são reduzidos à condição análoga à de escravo faz parte do conjunto de vulneráveis, no entanto, com o vitupério de estarem segregados das garantias de liberdade e dignidade da pessoa humana. Os trabalhadores escravizados contemporâneos mais uma vez encontram-se à margem da sociedade, a partir da ciberpolítica implementada que resulta em barreiras ao acesso e exclusão de muitos que necessitariam deste aporte de sobrevivência em tempos de pandemia.

Descargas

Los datos de descargas todavía no están disponibles.

Biografía del autor/a

MARCELO SILVA, Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE)

Economista no Departamento de Planejamento Estratégico (DPE) da Universidade Federal da Integração Latino-Americana (UNILA) de Foz do Iguaçu – PR, Brasil. É Doutor em Sociedade, Cultura e Fronteiras na Universidade do Oeste do Paraná (UNIOESTE) de Foz do Iguaçu – PR, Brasil. Mestre em Administração de Marketing pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), Especialista em Métodos e Técnicas de Ensino pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) de Medianeira, PR, Brasil. Graduado em Economia pela Universidade São Judas Tadeu (USJT) de São Paulo, SP, Brasil.

Citas

ABRAMO, L. “Uma década de promoção do trabalho decente no Brasil: uma estratégia de ação baseada no diálogo social”. In: Relatório OIT, Genebra: OIT, 2015, Disponível em: https://www.ilo.org/brasilia/conheca-a-oit/oit-no-brasil/WCMS_467352/lang--pt/index.htm. Acesso em: 7 out. 2018.

AJURIS. Vade Mecum Covid-19: leis e portarias, 2020. Disponível em: http://www.escoladaajuris.org.br/observatorio/textos/304-vade-mecum-covid-19-leis-e-portarias. Acesso em: 15 jul. 2020, pp. 3 e 14.

AMIB (Associação de Medicina Intensiva Brasileira). Protocolo AMIB de alocação de recursos em esgotamento durante a pandemia por COVID-19, 2020. Disponível em: https://www.amib.org.br/fileadmin/user_upload/amib/2020/abril/24/Protocolo_AMIB_de_alocacao_de_recursos_em_esgotamento_durante_a_pandemia_por_COVID-19.pdf. Acesso em: 16 jul. 2020.

ARAUJO, C.; BRESSER-PEREIRA CARLOS, L. “Para Além do Capitalismo Neoliberal: as alternativas políticas”, Revista de Ciências Sociais, Rio de Janeiro, 61(3), 2018, pp. 551-580. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/001152582018167. Acesso em: jul. 2020.

BITTAR, P. “Lei do feminicídio faz cinco anos”, In: Direitos humanos, Câmara dos Deputados, 09. mar. 2020. Disponível em: https://www.camara.leg.br/noticias/643729-lei-do-feminicidio-faz-cinco-anos/. Acesso em: 10 de agos. 2020.

BOCAYUVA, P. C. C. “Globalização e Pandemia: o fim da hegemonia e a necropolítica neoliberal”, In (LOLE, “et al.”, Orgs.), Para Além da Quarentena: reflexões sobre crise e pandemia, Módula Editoral, Rio de Janeiro, 2020, p. 141.

BRASIL. Câmera dos Deputados. Lei nº 13.979 de 06 de fevereiro de 2020. 2020. Disponível em: https://www2.camara.leg.br/legin/fed/lei/2020/lei-13979-6-fevereiro-2020-789744-norma-pl.html. Acesso em: 16 jul. 2020, pp. 1-3.

BRASIL. Congresso Nacional. Lei nº 13.982, de 2 de abril de 2020. Disponível em: http://www.in.gov.br/en/web/dou/-/lei-n-13.982-de-2-de-abril-de-2020-250915958. Acesso em: 16 jul. 2020, p. 1.

BRASIL. IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Desocupação, renda, afastamentos, trabalho remoto e outros efeitos da pandemia no trabalho, 2020. Disponível em: https://covid19.ibge.gov.br/pnad-covid/. Acesso em: 20 jul. 2020

BRASIL. IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). PNAD-COVID-19, 2020. Disponível em: https://covid19.ibge.gov.br/. Acesso em: 15 jul. 2020.

BRASIL. Ministério da Saúde. Atos do Poder Executivo. Decreto de 02 de junho de 2020. Disponível em: https://pesquisa.in.gov.br/imprensa/jsp/visualiza/index.jsp?data=03/06/2020&jornal=529&pagina=1. Acesso em: 08 de agos. 2020.

BRASIL. Ministério da Saúde. Boletim Epidemiológico Especial: doença pelo coronavírus COVID-19, 2020. Disponível em: http://saude.gov.br/images/pdf/2020/June/18/Boletim-epidemiologico-COVID-2.pdf. Acesso em: 23 jul. 2020, p. 27.

BRASIL. Ministério da Saúde. Orientações do Ministério da Saúde para Manuseio medicamentoso precoce de pacientes com diagnóstico da Covid-19, 2020. Disponível em: https://www.saude.gov.br/images/pdf/2020/May/20/orientacoes-manuseio-medicamentoso-covid19.pdf. Acesso em: 25 jul. 2020.

BRASIL. Ministério da Saúde. Painel Coronavírus, 2020. Disponível em: https://covid.saude.gov.br/. Acesso em: 16 jul. 2020.

BRASIL. Secretaria de Inspeção do Trabalho. Painel de Informações e Estatísticas da Inspeção do Trabalho no Brasil, 2020. Disponível em: https://sit.trabalho.gov.br/radar/. Acesso em: 24 jul. 2020.

CAESAR, G. Em 3.547 municípios do Brasil, pelo menos 1/4 dos habitantes recebeu o Auxílio Emergencial, 2020. Disponível em: https://g1.globo.com/economia/noticia/2020/06/06/em-3547-municipios-do-brasil-pelo-menos-14-dos-habitantes-recebeu-o-auxilio-emergencial.ghtml. Acesso em: 16 jul. 2020, p. 2.

COCKAYNE, J.; SMITH, A. O impacto do COVID-19 na escravidão moderna, 2020. Disponível em: https://ourworld.unu.edu/en/the-impact-of-covid-19-on-modern-slavery. Acesso em: 15 jul.2020, pp. 1-2.

FOUCAULT, M. História da sexualidade: a vontade de saber, Edições Graal, Rio de Janeiro, 1988, p. 129.

JUSBRASIL. Acórdão Nº 1335/2020 – TCU – Plenário, Diário Oficial da União, 05 jun. 2020. Disponível em: https://www.jusbrasil.com.br/diarios/300712157/dou-secao-1-05-06-2020-pg-53. Acesso em: 08 agos. 2020, p. 53.

LÖWY, M. O neofascista Bolsonaro diante da pandemia, 2020. Disponível em: https://aterraeredonda.com.br/isto-se-chama-genocidio/. Acesso em: 15 mai. 2020, p. 2.

MBEMBE, A. Necropolítica: biopoder, soberania, estado de exceção, política da morte, N-1, São Paulo, 2018, p. 5.

MENEZES, M. Estudo aponta que novo coronavírus circulou sem ser detectado na Europa e Américas,2020. Disponível em: https://portal.fiocruz.br/noticia/estudo-aponta-que-novo-coronavirus-circulou-sem-ser-detectado-na-europa-e-americas. Acesso em: 20 mai. 2020, p. 1.

OMS (Organização Mundial da Saúde), Painel da Doença de Coronavírus da OMS (COVID-19), 2020. Disponível em: https://covid19.who.int/. Acesso em 08 de agos. 2020.

PAULO, C. A. S. As Respostas do Estado às Demandas Sociais e Étnico-Raciais: particularidades no Brasil entre 2003-2013, 166 f. Tese (Política Social) – Universidade de Brasília, Distrito Federal, 2015.

PELBART, P. P. Vida capital: ensaios de biopolítica, Iluminuras, São Paulo, 2016, pp. 287-288.

SANTOS, B.S. A Cruel pedagogia do vírus. Almeida, Coimbra, 2020, pp. 5, 15-20.

VANNUCHI, C. A pandemia de Covid-19 segundo Bolsonaro: da “gripezinha” ao e “e daí”. Disponível em: https://noticias.uol.com.br/colunas/camilo-vannuchi/2020/04/30/a-pandemia-de-covid-19-segundo-bolsonaro-da-gripezinha-ao-e-dai.htm. Acesso em: agos. 2020.

VEJA. Coronavírus: Taxa de Contaminação é maior em negros nos EUA, 2020. Disponível em: https://veja.abril.com.br/mundo/coronavirus-taxa-de-contaminacao-e-maior-em-negros-nos-eua/. Acesso em: jul. 2020.

WALK FREE FOUNDATION. The global slavery index 2018, Disponível em: https://www.globalslaveryindex.org/. Acesso em: 12 nov. 2018.

ŽIŽEK, S. “Coranavirus es um golpe al capitalismo el estilo de “Kill Bill” y podría conducir a la reinvención del comunismo”, in (AGAMBEN, G. “et al.”, orgs.), Sopa de Wuhan: pensamiento contemporáneo en tiempos de pandemias, ASPO, 2020, p. 21.

Publicado

14-12-2020

Cómo citar

SILVA, M. (2020) «Trabalho Escravo Contemporâneo e a Pandemia SARS-COV-2: Reflexões sobre o Biopoder, a Biopolítica e a Necropolítica», Cadernos de Dereito Actual, (14), pp. 256–276. Disponible en: https://cadernosdedereitoactual.es/ojs/index.php/cadernos/article/view/561 (Accedido: 23 junio 2024).