Direito, Gênero e Literatura: sua aproximação a partir da obra de Clarice Lispector

Autores/as

  • Angelita Maria Maders Uri Campus Santo Ângelo
  • Isabel Cristina Brettas Duarte CNEC Iesa

Resumen

Objetiva-se, neste artigo, fazer uma aproximação entre o Direito, gênero e Literatura para demonstrar que o discurso baseado em parâmetros androcêntricos continua sendo reproduzido no meio jurídico, onde deveria ser implodido. Para fins de delimitação, utiliza-se como base teórica de dois livros de Clarice Lispector, intitulados Laços de família e A hora da estrela, escritora eleita por se tratar de uma mulher e por ela escrever sobre a condição feminina. A importância da relação entre essas áreas do conhecimento está na sua complementariedade no processo de humanização da sociedade e das instituições da justiça. Parte-se do pressuposto de que as obras eleitas espelham uma ideologia da realidade no que se refere às relações de gênero, bem como que o profissional do Direito exerce um trabalho de contínua interpretação e, para tanto, usa da linguagem e da representação da realidade por meio das palavras, no que pode ser auxiliado pela Literatura para concretizar uma utopia: uma justiça mais humanizada. Além disso, a Literatura pode auxiliar a suprir as omissões, as lacunas e o próprio silêncio que há nos discursos institucionalizados, inclusive jurídicos, de modo que essa aproximação deve ser incentivada. O método de pesquisa utilizado é o bibliográfico.

Descargas

Los datos de descargas todavía no están disponibles.

Biografía del autor/a

Angelita Maria Maders, Uri Campus Santo Ângelo

Defensora Pública do Estado na Comarca de Santo Ângelo/RS, Professora da URI, Mestre em Gestão, Desenvolvimento e Cidadania pela Unijuí, Doutora em Direito pela Universidade de Osnabrück, (Alemanha), Pós-Doutora pela Universidade de Santiago de Chile, e membro do Núcleo de Direitos Humanos da Defensoria Pública do Estado do Rio Grande do Sul.

Isabel Cristina Brettas Duarte, CNEC Iesa

Doutoranda em Direito pela URI Câmpus Santo Ângelo, Mestre em Direito pela Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões – URI/Campus de Santo Ângelo/RS. Mestre em Letras pela URI/Campus de Frederico Westphalen/RS (Área de concentração: Literatura). Licenciada em Letras-Espanhol pela URI/Campus de Frederico Westphalen/RS. Advogada da Procuradoria-Geral do Município de Santo Ângelo/RS. Professora do curso de graduação em Direito da Campanha Nacional das Escolas da Comunidade/Instituto de Ensino Superior de Santo Ângelo - CNEC/IESA. E-mail: isabelcristinabd@yahoo.com.br

Citas

ARNAIZ, G. Martha Nussbaum: filósofa de lo vulnerable. Filosofía Hoy. Disponível em: <http://filosofiahoy.es/Martha_Nussbaum_4ffad4af9c8de.htm>. Acesso em: 19 set. 2015.BASTOS PÊPE, A.M. “Direito e Literatura: uma intersecção possível - Interlocuções com o pensamento waratiano”, Revista Internacional de Direito e Literatura - Anamorphosis, vol. 2, n. 1, janeiro-junho 2016.BENET, J. “M. Nussbaum: Justicia Poética”, Res publica, 3, 1999, p. 229-237. Disponível em: <http://revistas.um.es/respublica/article/viewFile/26071/25301>. Acesso em: 19 set. 2015.BOTELHO JUNQUEIRA, E. “Mulheres Advogadas: espaços ocupados” em (Bruschini, C. y Pinto, C. R. orgs.), Tempos e lugares de gênero, São Paulo, Ed. 34 e Fundação Carlos Chagas, 2001. BOURDIEU, P. A dominação masculina, 3. ed., Bertrand Brasil, 2005.BOURDIEU, P. A dominação masculina, Trad. Maria Helena Kühner, Bertrand Brasil, 2011. BRETTAS DUARTE, I.C. y MADERS, A.M. “O Direito e a Literatura cruzando os caminhos da justiça poética: uma estrada sem fim?”, Anais do IV CIDIL – Censura, Democracia e Direitos Humanos, v. 1, 2016.BURKE, P. A escrita da História: novas perspectivas, UNESP, 1992.CAMATTA MOREIRA, N. y FERRARI OLIVEIRA, J. (Orgs.). Direito e literatura: e os múltiplos horizontes de compreensão pela Arte, Ed. UNIJUÍ, 2015.CAMPOS RIBEIRO, A. “A Literatura e o Direito”, Juris Poiesis, Revista dos Cursos de Direito da Universidade Estácio de Sá, março/julho 1999, Ano I, Vol. I, Rio de Janeiro.CANDIDO, A. Vários escritos, Ouro sobre Azul, 2011.ESTERMANN MEYER, D. “Gênero e educação: teoria e política” en LOURO, G.L. y NECKER, J.F. y VILDORE GOELLNER, S. (Orgs.). Corpo, gênero e sexualidade: um debate contemporâneo na educação. 2. ed. Petrópolis, RJ, Vozes, 2005.FOUCAULT, M. Os anormais. Curso no Cóllege de France (1974-1975), WMF Martins Fontes, 2010. FOUCAULT, M. Microfísica do poder, Ed. Graal, 1992.FOUCAULT. Microfísica do poder. 2. ed., Ed. Graal, 1981.GOMES DUTRA MAGALHÃES, H. “Uma barata chamada Macabéa: uma questão de gênero”, Verbo de Minas: letras, Juiz de Fora, v.13, n. 21, jan/jul. 2012.GUIMARÃES OLIVEIRA, T. “Qual a classe, a cor e o gênero da justiça? Reflexões sobre as (im)possibilidades de combate à violência doméstica e familiar contra as mulheres negras pelo Poder Judiciário Brasileiro”, Revista Mediações, Londrina, v. 21, n. 1, jul./dez., 2016, p. 103-123.HELENA, L. “Por uma tradição do feminismo na literatura brasileira”. Anais do Seminário Nacional Mulher e Literatura, UFRN, Universitária, 1995, p. 168-174. HUTCHEON, L. Poética do pós-modernismo: história, teoria, ficção, Trad. Ricardo Cruz, Imago Ed., 1991.KARAN TRINDADE, A. y MAGALHÃES GUBERT, R. y COPETTI NETO, A. (Orgs.). Direito e Literatura: reflexões teóricas, Ed. Livraria do Advogado, 2008.KARAN TRINDADE, A. y MAGALHÃES GUBERT, R. y COPETTI NETO, A. (Orgs.). Direito e Literatura: ensaios críticos, Ed. Livraria do Advogado, 2008.KARAN TRINDADE, A. y STRECK, L.L. (Orgs.). Os modelos de Juiz: ensaios de Direito e Literatura, Ed. Atlas, 2015.KARAN TRINDADE, A. y STRECK, L.L. (Orgs.). Direito e Literatura: da realidade da ficção à ficção da realidade, Ed. Atlas, 2012.KARAN TRINDADE, A. y SCHWARTZ, G. (Orgs.). Direito e Literatura: o encontro entre Themis e Apolo, Ed. Juruá, 2008. KOZICKI, K. y KARAN CHUEIRI, V. (Orgs.). Estudos em Direito, Política e Literatura, Ed Juruá, 2007. LAURENTIS, T. “A tecnologia do gênero”, em (Hollanda, H. org.), Tendências e impasses – o feminismo como crítica da modernidade, Rio de Janeiro, Rocco, 1994.LISPECTOR, C. A hora da estrela, Rocco, 1998.LISPECTOR, C. Laços de família: contos, Rocco, 2009.LOPES LOURO, G. Gênero, sexualidade e educação: uma perspectiva pós-estruturalista, 16. ed., Vozes, 2014.LOURO, G.L. y FELIPE, J. y GOELLNER, S.V. Corpo, gênero e sexualidade: um debate contemporâneo na educação, 9. ed., Vozes, 2013.MORIN, E. Os sete saberes necessários à educação do futuro. Trad. Catarina Eleonora da Silva e Jeanne Sawaya; revisão técnica de Edgard de Assis Carvalho, 5. ed., Cortez / UNESCO, 2002.NUSSBAUM, M. Justicia Poética: la imaginación literária y la vida pública, Traducción de Carlos Gardini, Editorial Andrés Bello, 1997. OLIVEIRA SCIAMMARELLA, A.P. y FRAGALE FILHO, R. “Desconstituindo gênero no Poder Judiciário. Dossier: Violências de gênero e direito(s): diálogos feministas”, Ex aequo, n. 31, Lisboa, jun. 2015. Disponível em: <http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0874-55602015000100005#14>. Acesso em: 03 out. 2017.OST, F. Contar a lei: as fontes da imaginação literária, Ed. Unisinos, 2004.OST, F. “Direito e Literatura: os dois lados do espelho”, em entrevista concedida a Dieter Axt. Revista Internacional de Direito e Literatura – Anamorphosis, v. 3, n. 1, janeiro-junho 2017.PEREIRA CAMARGO, F.; MELO ARAÚJO, M.M. “Metalinguagem e olhar feminino: duas vertentes no processo de (re)criação de A hora da estrela”, Linguagem - Estudos e Pesquisas, Catalão, v. 8-9, p. 101-128, 2006. Disponível em: <https://www.revistas.ufg.br/lep/article/view/32543/17308>. Acesso em: 21 maio 2017.RICCIARDI SBIZERA, J.A. Arte e Direito: o lugar da Literatura na formação do jurista crítico-sensível, Ed. Lumen Juris, 2015.SAMPAIO DE MORAIS GODOY, A. Direito e Literatura: ensaio de síntese teórica, Ed. Livraria do Advogado, 2008.SOARES BENTES, H.H. “A 'via crucis do corpo' da mulher: trajetos de violência na literatura brasileira sob a ótica dos direitos humanos das mulheres”, Revista Internacional de Direito e Literatura – Anamorphosis, v. 2, n. 1, 2016, p. 147-167.WARAT, L.A. Manifesto do surrealismo jurídico, Acadêmica, 1988.

Publicado

22-12-2017

Cómo citar

Maders, A. M. y Brettas Duarte, I. C. (2017) «Direito, Gênero e Literatura: sua aproximação a partir da obra de Clarice Lispector», Cadernos de Dereito Actual, (8), pp. 181–203. Disponible en: https://cadernosdedereitoactual.es/ojs/index.php/cadernos/article/view/268 (Accedido: 23 junio 2024).